Burn, baby, burn…

Curry, nata com alho (ou não) e uma pimenta com efeito retardado.

Desta vez não foi “eu, a Rebeca e o Felipe”, como geralmente acontece. Desta vez vai fomos eu, a Rebeca, o Felipe, a Fabi, a Gabi, o Vini, a Ana, a Lu e o Daniel! Este bando de gente foi comer no Sharin, depois de ter combinado um tempão atrás, desde o evento no Velopark!
Eu e a Rebeca chegamos de Pelotas, podres de cansados e podres de sujos, mas não perderíamos a chance de sair com este pessoal por nada.
Chegamos lá e felizmente não tinha espera, que seria longa pois o restaurante é pequeno e uma mesa para 9 pessoas ocupa um espaço grande. Confesso que estava um pouco preocupado, pois fazia cerca de 3 anos que não comia lá, e a minha reputação como palpitador de restaurante poderia ser abalada se o preço tivesse subido muito e/ou a qualidade da comida tivesse caído. Felizmente meu medo era totalmente infundado: a decoração continua linda, a comida continua deliciosa e o preço continua pagável (sempre levando em conta a qualidade e exoticidade da comida, obviamente).
Os chutneys de entrada estavam diferentes dos da última vez, mas igualmente deliciosos:

mostarda – muito suave, a princípio parece insosso, mas o sabor tem um atraso. Bem interessante.

banana com coco – gostoso, mas nada de especial

maçã com canela – idem

manteiga com curry – combinação interessante

gengibre temperado – sabor marcante e exótico

tomate com curry – combinação espetacular, talvez o melhor deles

nata com alho (ou não) – concorre com o anterior pelo melhor. Se combinados (idéia minha), fica espetacular!

Depois desta ótima entrada, começamos a pedir os pratos:

Eu e Rebeca pedimos um Hot Chicken (1/2 frango assado no forno de tandoor, marinado em yogurte com páprica guarnecido com vegetais e arroz de açafrão, temperado com pimenta). O frango estava delicioso, os vegetais estavam meio sem graça, mas chuchu sempre é meio sem graça.
O atendente nos avisou que fora feito com pouca pimenta, mas que poderia ser feito mais picante. Dá pra entender os motivos deles: se colocarem a pimenta e o tempero das receitas originais, a clientela foge pela porta correndo e vai rolar no asfalto. Nós, com a língua acostumada, somos uma minoria.

Felipe, Gabi e Fabi pediram um Lamb Mint (Iscas de carneiro ao creme de hortelã). A carne estava muito bem preparada e o molho estava simplesmente perfeito. Altamente recomendado.

Vini e Ana pediram um Luxury Macchi (Postas de salmão ao creme suave de páprica). Eu geralmente prefiro meu peixe cru, ou então frito, pois geralmente peixe cozido tem um consistência gelatinosa e uma textura nauseabunda, mas este salmão veio cozido no ponto exato: a carne estava muito macia mas firme. O molho era outra obra-prima à parte, com uma linda cor vermelha e um cheiro delicioso (assim como o sabor).

Daniel e Lu pediram alguma coisa de camarão que eu nem vi e nem sei o gosto, pois eles atacaram o prato e nem deu tempo de ver. Mas parece que estava bom.

De sobremesa, eu e Rebeca (assim como o Daniel e a Lu) dividimos uma pêra cozida com sorvete. O contraste do cravo e canela da pêra com a suavidade da baunilha é ótimo. Recomendo.

Momentos que só o CDAK proporciona pra você:

-Felipe, viu que boa a nata com alho?
-Nata com alho? Eu achei que era uma nata comum.
-Tá com a língua estragada? Tem bastante gosto de alho!
-Prova aqui então!
-….putz, não tem alho mesmo…
-Pau no cu! Viu só! E me xingando! Hahahahaha

Vini repetindo um “puta merda, que negócio bom” pra cada coisa que experimentava.

Todos nós experimentando a pimenta e dizendo que era fraquinha, pra depois descobrir que ela demorava uns 2 minutos pra dar efeito. E que efeito.

Daniel colocando várias colherinhas da supracitada pimenta no seu prato e depois tentando apagar o fogo com cerveja.

O Desafio “Dando PT no Dado Sushi”. Daniel e Felipe vão descobrir quem come mais. Em breve. Só aqui, no Capsaicina. Ingressos pelo e-mail guilherme.atencio@gmail.com .

No fim das contas acho que todo mundo gostou. Eu teria gostado se fosse um X no Gato, pois eu adoro este pessoal e SEMPRE me divirto quando estou com eles. Fiquei feliz com a presença da Fabi e da Gabi, que infelizmente não vejo com a frequência que gostaria. Sem fotos desta vez, pois o restaurante tem um clima de penumbra que ia se perder nas fotos. Vá lá e veja por conta própria.

http://www.sharin.com.br (Os preços no site estão desatualizados)

Exibir mapa ampliado

Anúncios

2 Respostas

  1. Fabi

    Combinação perfeita: companhia maravilhosa, risadas, ambiente agradavel e comida deliiiiiciiiooosaaa!
    Olha que voces estao subestimando minha habilidade de comer sushi!!! AGUARDEM

    maio 13, 2008 às 10:15 pm

  2. klutz

    Olha, já fazia um tempo que estávamos combinando de ir no Sharin. O ambiente é excelente e parece realmente um cantinho da Índia em Porto Alegre. A comida preparada com esmero e temperos na medida certa. Pra acompanhar isso, amigos reunidos, faltando somente a Milena pra completar a trupe. O Rodrigo e a Fabi haviam confirmado presença, mas acabaram não indo por motivo que eu desconheço.
    Sinceramente não é um local barato, em verdade um pouco longe disso. Os pratos para 2 pessoas partem de 70 reais. Mas em virtude dos temperos e especiarias típicas, acabam se justificando tais valores.
    O único efeito colateral que eu, a Gabi e a Fabi(não a do Rodrigo, mas minha irmã loira) sofremos foram os efeitos laxantes decorrentes do curry. Me lembro do primeiro episódio do seriado “The big bang Theory” ( se você ainda não assistiu, está perdendo boas risadas) onde Leonard convida Penny para comer comida indiana, citando as vantagens de se ter um colon limpo…
    Ah, e segundo a Rebeca depois do meu pedido no Sharin e no El Pueblo serei o “pedidor” oficial do grupo. Confesso que tenho tido sorte mesmo com pratos exóticos como um Carneiro no molho de hortelã.
    Ps1.: O diálogo da nata com alho foi comigo e o Guilherme não disse que eu tava com a língua estragada e sim que eu tinha a língua podre. Depois de provar viu que meu molho de nata com alho não tinha alho.
    Ps2.: Se o Daniel acha que vou deixar meu troféu de Mestre de PT no sushi do Dado, está muito enganado. É algo que vai custar muito caro… tá nem tão caro, R$29,90 dependendo do dia… mas ainda assim o buffet vai sentir minha voracidade… hehehehe.

    maio 15, 2008 às 3:33 am

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s