Burn, baby, burn…

Non me corta a massa

Eu tenho muita saudade da Cantina D’Itália, um restaurante que frequentávamos muito quanto eu era criança. Neste época meu pai ainda trabalhava em uma empresa multinacional e seu chefe era italiano, e esta cantina era um de seus lugares favoritos em Porto Alegre. Não é pra menos: o lugar era escuro, com muitas lingüiças (piça pra reforma ortográfica), cebolas e assemelhados penduradas no teto, paredes decoradas com pipas de vinho, um dono baixinho circulando o tempo todo sem nunca largar a taça de vinho, poucas mesas e uma comida ótima. Foi lá também que vi uma cena que nunca vou esquecer: minha mãe pediu um fettuccine e começou a cortá-lo em pedaços, costume este que eu detestava. Na primeira cortada, o Sr. Salvatore, dono do restaurante, colocou a mão sobre a dela e, com uma expressão de quem estava sendo esfaqueado, disse em um lamento: “Non me corta a massa…”
Eu quase engasguei de tanto rir, e até minha mãe morrer a gente brincava com isso, tão cômica e emblemática foi a atitude dele. Fazendo parte deste ambiente, havia sempre uma mesa ocupada pelos mesmos 3 ou 4 homens, que apelidamos carinhosamente de “Mesa da Máfia”. Infelizmente, cerca de 15 anos atrás o Sr. Salvatore morreu, o restaurante fechou e ficamos sem o nosso restaurante favorito. Esse blábláblá nostálgico foi só pra explicar como eu sentia falta de algo assim. O Copacabana é um bom restaurante, mas não é a mesma coisa. Pois parece que o Diego, do Destemperados tem o mesmo problema que eu, e deu uma dica ótima: a Taverna Monte Polino.
Gostei do lugar logo de cara. Quem olha de fora não dá nada pelo lugar, e de noite o efeito aumenta, pois a rua é obscura e escura. Ao entrar, me senti em um lugar familiar, só que mais iluminado. (Foto tirada do Destemperados)
ambiente-monte-polino-2
Ao pegar o cardápio, percebi que ele é escrito em italiano, o que gerou protestos do Cristiano, mas eu achei um toque legal. O garçom nos disse que os pratos eram individuais, mas eram bem servidos, e que portanto eles recomendavam 2 pratos para 3 pessoas. Usando desta aritmética, pedimos 3 pratos (Filé a Parmegiana, Fettuccine à Matriciana e Lasagna Bolognese Quattro Formaggio) que demoraram um pouco. O couvert ajudou a esperar, mas teria valido à pena de qualquer maneira.

Fetuccini  Matriciana

Fetuccini Matriciana


Filé a Parmegiana

Filé a Parmegiana

Lasanha quatro queijos
Eu não sei que ogro come um prato destes sozinho, mas dou os parabéns. As cumbuquinhas são simpáticas mas enganadoras, pois dá um certo trabalho consumir tudo que vêm dentro delas.
Este molho Matriciana (que eu desconhecia) é um molho de tomate com pedacinhos de bacon que consegue ter um gosto marcante sem ser enjoativo. O Filé estava desmanchando de macio, como todo Parmegiana que se preze, e o molho estava um espetáculo à parte: espesso, mas sem parecer massa de tomate e com a dose certa de tempero. A lasagna pode parecer estranha, pois geralmente se vê por aí quatro queijos com presunto ou frango, mas o guisado casou bem com o molho.
No fim comemos tudo pois a comida estava ótima, mas daria facilmente pra alimentar 5 ou 6 pessoas. O bom é que apesar do excesso de comida e de refrigerantes (noite quente, muito quente) a conta deu R$110, o que considero um ótimo valor para 4 pessoas se empanturrarem de boa comida. Certamente voltarei lá pra experimentar outros pratos. Recomendo fortemente.

Agradeço ao Diego pela dica e pela foto descaradamente roubada.
Agradeço também a companhia do Cristiano e da Belisa.

http://www.tavernamontepollino.com/

Exibir mapa ampliado
Rua Barão do Gravataí, 531 (esquina com a Múcio Teixeira)
Menino Deus – Porto Alegre – RS
(51) 3224.2372

Nota: O Google Maps indica o endereço no lugar errado. Na verdade o restaurante é na esquina da Barão do Gravataí com a Múcio Teixeira.

Anúncios

12 Respostas

  1. cara, é o grande problema de fazer um blog com mais gente: infelizmente temos que dividir as tarefas e o monte polino coube ao diego. shame on me!

    mas tudo bem, qualquer hora dessas eu dou uma escapada lá e confiro que vocês dois tão com razão.

    abs

    fevereiro 13, 2009 às 4:09 pm

  2. miguel

    alguem ajuda o monte a fazer um site novo, urgente
    :/

    fevereiro 14, 2009 às 2:16 am

    • guilhermeatencio

      Realmente, aquele site deles é MEDONHO, além de ser diferente do nome na fachada.

      fevereiro 18, 2009 às 12:33 pm

  3. Ale

    Eu sempre lembro dessa tua história de não cortar a massa… tem aquele restaurante na miguel tostes que é nesse estilo, tratoria do giovani (ou algo mais italiano que isso), mas acho que fechou… mas parecia um boteco e com linguicas penduradas por todos os lados…
    ah, tu já comeu na Cantina Pastasciutta?? eu fui uma vez lá e melhor massa da vida!
    um dia eu volto…

    fevereiro 15, 2009 às 5:23 pm

    • guilhermeatencio

      Esse “Trattoria do Giovanni” já me falaram bem, mas eu realmente não sei se ainda existe. A mesma coisa a Pastasciutta! Se for lá de novo, te aviso.

      fevereiro 15, 2009 às 7:30 pm

  4. Everson

    Bah, agora me deu uma saudade.

    O meu pai adorava nos levar na D’Italia, freqüentamos muito aquele restaurante. E nos últimos anos de vida dele, ele morava a menos de uma quadra da Monte Polino, então iamos bastante lá.

    Outros lugares favoritos do pai:

    .Galeteria Primo Polastro (na Ernesto da Fontoura, 822) – era uma bela galeteria, sem a sofisticação das alternativas chiques de Porto Alegre, mas com um custo-benefício muito bom. Estive lá há uns 2 anos e ainda seguia muito boa.

    .Churrasco era na Churrascaria Saci, no Beira-Rio (de vez em quando, na Chimarrão, na frente da D’Italia). O pai também comprava churrasco pronto lá pra levar pra casa, de vez em quando. Aliás, ele era fã do Beira-Rio: pizza era na Saci, restaurante era o Choppão.

    fevereiro 18, 2009 às 11:18 am

    • guilhermeatencio

      Obrigado pelo comentário e também pelas dicas!
      Quando puder, vou visitar estes lugares e posto aqui.

      fevereiro 18, 2009 às 12:24 pm

  5. Guilherme!
    Aaaammmeeei o teu blog. Tanto que já sou fã de carteirinha. Enquanto te lia, te via na minha frente contando as histórias e fazendo os comentários. Rsrsrsrsrs… Bárbaro! Ah, o Pastaciutta aqui em Gramado continua tudo de bom, mesmo! Nessa minha volta à terrinha, com ex-colega nosso de Inglês por lá. Besitos!

    fevereiro 28, 2009 às 1:20 pm

    • guilhermeatencio

      Obrigado!

      fevereiro 28, 2009 às 2:33 pm

  6. Na verdade nós fomos um dia desses na Primo Polastro… lembra? No final das contas a comida era boa, mas o custo x benefício não, pois ela se tornou meio “cara” para o que oferece.

    De resto espero ir em breve experimentar a comida da Monte Polino.

    março 3, 2009 às 5:09 pm

    • guilhermeatencio

      É verdade! Eu fiquei pensando se aquele lugar era a tal de Primo Polastro e acabei me esquecendo de te perguntar.

      março 3, 2009 às 8:32 pm

  7. Fabio

    O ruim do Monte Polino, é que tem um garçon que fica encarando a mulher alheia. Esses dias íamos lá, e passamos na frente.. o garçon ficou encarando minha namorada. Daí desisti de entrar. Pela falta de profissionalista do arigó metido a Ricardão.

    junho 12, 2009 às 12:48 pm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s