Burn, baby, burn…

A ignorância é uma benção


Ontem estava conversando com um amigo sobre um fenômeno: quem aprende a cozinhar geralmente começa a criticar a comida dos restaurantes. Se você fizer um curso de sushi, por exemplo, na próxima vez que for a um um restaurante deste tipo, vai prestar atenção no tipo de arroz, no tipo de vinagre, na maneira que o peixe foi cortado e em outros detalhes que quem sabe fazer valoriza e conhece. Até que ponto isso é bom? Aprendemos a reconhecer comida bem-feita, mas não corremos o risco de ficarmos chatos? Ou nossa crítica se torna mais valiosa pois tem embasamento?

Anúncios

7 Respostas

  1. SAME RULES APPLY pra qualquer atividade humana. Escrever profissionalmente, por exemplo, acaba com boa parte do prazer intrínseco a uma leitura “leiga”. Nêgo fica com um olhar muito técnico, é impossível ler uma frase sequer sem analisar cada vírgula, esquadrinhar cada preposição, escarafunchar toda a estrutura.

    março 24, 2009 às 12:31 pm

    • guilhermeatencio

      E tu acha possível não cair nesta “armadilha” ou invariavelmente o escritor se torna um chato, destrichando até rótulo de bolacha?

      março 24, 2009 às 3:23 pm

  2. Tente aproveitar um filme depois de passar um ano estudando trilha sonora…

    março 24, 2009 às 1:07 pm

    • guilhermeatencio

      Se eu, que sou totalmente leigo, aproveito poucos filmes, imagino quem tem embasamento pra criticar.

      março 24, 2009 às 3:19 pm

  3. Augusto

    Excelente teu blog!
    Parabéns!
    Pra quem é de POA, adora comer fora, não tem grana pra arriscar/botar fora e já tá de saco cheio do guia 4 rodas foi perfeito encontrá-lo.
    Grande abraço.
    Augusto

    março 24, 2009 às 1:56 pm

    • guilhermeatencio

      Obrigado, Augusto! A idéia do blog é dar a minha opinião, que não é necessariamente a certa, mas é sincera e não é influenciada por nenhum patrocínio.

      março 24, 2009 às 3:15 pm

  4. Pra mim, o prazer em apreciar qualquer produção humana está justamente em compreender cada vez mais como ela se articula e acabar tendo vontade de fazer o mesmo, mesmo que o que resulte disso seja, na maior parte das vezes, o reconhecimento das nossas limitações. Os aplausos pra quem merece ficam muito mais gostosos.

    maio 5, 2009 às 5:32 pm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s