Burn, baby, burn…

Nem as cortinas

Certas coisas me deixam particularmente decepcionado, e comida pretensiosa é uma delas. Uma coisa é ter sofisticação, como por exemplo o D.O.M., que eu ainda não tive o prazer de conhecer, outra coisa é ter um ambiente ajeitadinho, bom atendimento, cardápio bem-escrito e escorregar no que deve ser um dos pilares de um restaurante: a comida.
Infelizmente o St. Hubertus é mais um destes lugares que eu prefiro não voltar mais. Já havíamos visto a fachada uns dias antes e pareceu promissor, então lá fomos nós.
Ambiente St. Hubertus

O ambiente é bacana e o atendimento foi muito bom, isso eu não posso negar. Depois de muito salivar nas opções do cardápio, resolvemos pedir uma sopa cremosa de cebola de entrada. O garçom nos ouviu falando que iríamos dividir e fez gentileza de trazer em duas cumcubas.

Sopa de cebola

A sopa estava realmente saborosa: cebolas flambadas com um gostinho interessante de grelha e um creme bem consistente, mas achei estranho ter uma camada de pão mole por baixo dela. Alguém sabe me dizer se é alguma técnica culinária que eu desconheço ou é só um truque pra fazer render?

Aí chegamos na comida de verdade.
Alles Deutch

Este prato me fez imaginar como seria um “Mc Schmidt”, pois não era ruim, mas também não era bom. A linguiça poderia ter sido aquecida no microondas, a batata podia ter sido cozida até o fim, o joelho de porco poderia estar menos aguado, o lombo (que não apareceu na foto) poderia estar menos vermelho e mais suculento e o chucrute podia fazer parte do “Mc Snack glücklich”. Só faltou a cerveja sem álcool, afinal, é pra crianças.

O prato pedido pela Rebeca, o “Cordeiro Valenciano” (ui!), foi mais grave. Ou mais cara-de-pau.
Cordeiro com páprica e risoto de cogumelos

Quando alguém lhe diz “risoto” o que vem na sua cabeça? Arroz empapado com pomarola? É, na minha também não. Eu imagino que seja algo composto de arroz, com um molho que é absorvido por ele e um pouco de manteiga e queijo. Neste caso, tivemos um molho (ralo), quase nada de manteiga e nada de queijo.
O cordeiro, que deveria ter um molho a base de páprica também estava sofrível, com pouco cordeiro, uma gosma amarela se passando por molho e um solitária bolota de páprica se afogando neste mar de fracasso pseudoteutônico.
Nos custou R$132, o que é caro considerando a comida e que poderia ter rendido uma refeição MUITO melhor no Baumbach Ratskeller, que ainda por cima é mais perto. Nem o Carlo gostou, e isso que ele só provou as cortinas.
Pra esquecer deste desastre, hoje almocei no Daimu e saí faceiro e satisfeito como sempre. St. Hubertus who?

Av. Borges de Medeiros 2000.
Gramado – RS

Anúncios

4 Respostas

  1. pô meu, faltou talento hein… vai lá ver se o destemperados recomenda esse mico aí! 🙂

    abração.

    julho 14, 2009 às 1:16 pm

    • guilhermeatencio

      A nossa intenção era ir no La Caceria, mas infelizmente só abre de noite. Quando decidimos ir no St. Hubertus, me passou pela cabeça a dúvida: “Eles não recomendaram por não conhecer ou por ser ruim?”. Me ferrei! Heheheehehe

      julho 14, 2009 às 11:54 pm

  2. mas meu, essa era fácil: cumé que a gente não ia conhecer um restaurante que fica ao lado do nonno mio e praticamente na frente do pastasciutta e do il piacere? 😎

    julho 16, 2009 às 8:18 pm

    • guilhermeatencio

      OK OK, admito que foi uma burrada! Hehehehehe

      julho 16, 2009 às 8:34 pm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s